madeira

A ideia deste trabalho é o aproveitamento e peças de madeiras de reciclagem, aliados à serragem e materiais que a natureza nos oferece com tanta generosidade !!!!

Seguidores

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Pequenos duendes de música e magia no Opa's Haus


Hoje eu lhes apresento os pequenos duendes que gostam de magia e música.
Quando eu estou confeccionando meus bonecos , eles criam vida e começam a falar comigo.
Estes em especial gostam de música, e me pediram para ouvir uma boa música como a maravilhosa música de HEITOR VILLA LOBOS.
Então eles ganharam varinhas mágicas que orquestram as músicas que acalmam e tocam o coração.
eles me disseram:
que devemos escolher bem nossas músicas, como escolhemos nossos alimentos.
Elas são alimentos da alma, nos trazem paz, esperança e levam nossos corações a estarem sempre perto de DEUS, Nosso bondoso PAI e Criador.



​contato -   elianeapkroker@gmail.com​




















HEITOR VILLA LOBOS


s (Rio de Janeiro, 5 de março de 1887 
— Rio de Janeiro, 17 de novembro de 1959) foi um compositor brasileiro.












Destaca-se por ter sido o principal responsável pela descoberta de uma linguagem peculiarmente brasileira em música, sendo considerado o maior expoente da música do modernismo no Brasil , compondo obras que contém nuances das culturas regionais brasileiras, com os elementos das canções populares e indígenas.


As primeiras composições de Villa-Lobos trazem a marca dos estilos europeus da virada do século XIX para o século XX, sendo influenciado principalmente por Wagner Puccini.

Nas Danças características africanas (1914), entretanto, começou a repudiar os moldes europeus e a descobrir uma linguagem própria, que viria a se firmar nos bailados Amazonas e Uirapuru (1917). O compositor chega à década de 1920 perfeitamente senhor de seus recursos artísticos, revelados em obras como a Prole do Bebê para piano, ou o Noneto (1923). Violentamente atacado pela crítica especializada da época, viajou para a Europa em 1923 com o apoio do mecenas Carlos Guinle e, em Paris, tomou contato com toda a vanguarda musical da época. Depois de uma segunda permanência na capital francesa (1927-1930), voltou ao Brasil a tempo de engajar-se nas novas realidades produzidas pela Revolução de 1930.





Apoiado pelo Estado Novo, Villa-Lobos desenvolveu amplo projeto educacional, em que teve papel de destaque o Canto Orfeônico, e que resultou na compilação do Guia prático (temas populares harmonizados). O compositor preocupava-se muito com os rumos da educação musical nas escolas brasileiras e quando foi aprovado seu projeto de educação na área, voltou a morar definitivamente no Brasil.      







À audácia criativa dos anos 1920 (que produziram as Serestas, os Choros, os Estudos para violão e as Cirandas para piano) seguiu-se um período "neobarroco", cujo carro-chefe foi a série de nove Bachianas Brasileiras (1930-1945), para diversas formações instrumentais. Em sua obra prolífera, o maestro combinou indiferentemente todos os estilos e todos os gêneros, introduzindo sem hesitação materiais musicais tipicamente brasileiros em formas tomadas de empréstimo à música erudita ocidental.