madeira

A ideia deste trabalho é o aproveitamento e peças de madeiras de reciclagem, aliados à serragem e materiais que a natureza nos oferece com tanta generosidade !!!!

Seguidores

quarta-feira, 21 de junho de 2017

Marcador de livros Tio Barnabé no Opa's Haus

Marcador de livros do Tio Barnabé.

Tio Barnabé é um personagem da obra infanto-juvenil do escritor MonteiroLobato.

tio barnabé

tio barnabé

tio barnabé

tio barnabé

tio barnabé

tio barnabé

tio barnabé

tio barnabé


                                                 MONTEIRO LOBATO    
                                        nascimento       18 de abril de 1882 , Taubaté                                                           falecimento        4  de julho de 1948 , São Paulo

                           


Escritor brasileiro , Monteiro Lobato é bastante conhecido entre as crianças, pois se dedicou a um estilo de escrita com linguagem simples onde realidade e fantasia estão lado a lado. Pode-se dizer que ele foi o precursor da literatura infantil  no Brasil. Suas personagens mais conhecidas são: Emília, uma boneca de pano com sentimento e ideias independentes; Pedrinho, personagem que o autor se identifica quando criança; Visconde de Sabugosa, a sábia espiga de milho que tem atitudes de adulto, Cuca, vilã que aterroriza a todos do sítio, Saci Pererê e outras personagens que fazem parte da famosa obra Sítio do Picapau Amarelo, que até hoje é lido por muitas crianças e adultos. Escreveu ainda outras obras infantis, como A Menina do Nariz ArrebitadoO SaciFábulas do Marquês de RabicóAventuras do PríncipeNoivado de NarizinhoO Pó de PirlimpimpimEmília no País da GramáticaMemórias da EmíliaO Poço do Visconde, e A Chave do Tamanho. Fora os livros infantis, escreveu outras obras literárias, tais como O Choque das RaçasUrupêsA Barca de Gleyre e O Escândalo do Petróleo. Neste último livro, demonstra todo seu nacionalismo, posicionando-se totalmente favorável a exploração do petróleo, no Brasil, apenas por empresas brasileiras.





Tio Barnabé um homem sábio.
Ele que ensinou o Pedrinho a caçar saci. Ele sabe sobre várias lendas sabe como desencantar a mula- sem- cabeça, o lobisomem. Mora numa cabana perto do sítio quando Dona Benta precisar dele é só ela chamar.



Tio Barnabé é um caboclo da roça que mora em uma das propriedades do sítio e ajuda Dona Benta cuidando das mais variadas tarefas. Tio Barnabé tem uma grande afeição por Pedrinho, adora um cachimbo e é um sábio no que diz respeito aos segredos da floresta, do folclore e as superstições, tanto que foi ele quem ensinou Pedrinho a prender o Saci na garrafa.

Aliás, a presença do idoso, e do idoso negro em particular,  na literatura popular brasileira  como símbolo de sabedoria,  é vasta e renitente. Na mesma obra de Monteiro Lobato em que pontifica o Tio Barnabé,  há a Nhá Benta, branca, avó carinhosa, mas também há a Tia Nastácia,idosa negra,carinhosa e querida companheira de todos !
Meu tio Barnabé , aqui no Opa's Haus em Curitiba, precisou de um chapéu diferente, pois estamos no inverno e está fazendo frio e ele não está acostumado !!!


sábado, 10 de junho de 2017

Duendes goiabinhas no Opa's Haus


           Gosto muito de associar meu trabalho com coisas bonitas e alegres da vida.
            Hoje quero homenagear uma iguaria da culinária que amo de montão!!
difícil quem não goste !!
            Um enroladinho de goiaba, é um biscoito amanteigado recheado de goiabada.








 você gosta de goiabada? é um doce maravilhoso feito  da goiaba , esta fruta tão                                    brasileira e tão saborosa e saudável.

                                                    GOIABA

A goiaba,  é o fruto da goiabeira, uma árvore da espécie Psidium guajava, da família Myrtaceae e existem mais de 2.800 espécies. Para nós leigos, chega-nos saber que existem duas variedades, de polpa branca e vermelha, sendo esta última a mais frequentemente utilizada.



goiabada
a história indica que a goiabada que era feita pelos cozinheiros escravos para o consumo dos senhores proprietários das fazenda só levava a polpa da fruta, e deixava as cascas e sementes para serem utilizadas pelos escravos, para seu próprio sustento. Esses escravos então, as cozinhavam junto com as cascas e as sementes e assim quando prontas elas ficavam com pedaços de casca de goiaba aparecendo, assim as chamando de goiabada com cascas que acabou convertendo-se ao famoso nome, goiabada cascão.


A goiaba é rica em taninos, fenóis, triterpenos, flavonoides, óleos essenciais, saponinas, carotenoides, lectinas, vitaminas, fibras e ácidos graxos. A fruta é rica em vitamina C e uma boa fonte de pectina – uma fibra dietética. As folhas de goiaba são ricas em flavonoides, principalmente a quercetina, sendo que grande parte da atividade terapêutica da goiaba é atribuída a estes flavonoides, que têm demonstrado atividade antibacteriana. Acredita-se que a quercetina contribui para o efeito antidiarreico da goiaba, sendo capaz de relaxar o músculo liso intestinal e inibir as contrações intestinais. Além disso,outros flavonoides e triterpenos presentes nas folhas de goiabeira mostraram atividade antiespasmódica.


enrolados de goiaba




INGREDIENTES
175 g de manteiga
100 g de açúcar
2 gemas
300 g de farinha de trigo
Raspas de ½ limão
200 g de goiabada cascão
Açúcar de confeiteiro


MODO DE PREPARO
Bata a manteiga e o açúcar na batedeira com a pá raquete e adicione as raspas de limão. Cuidado para não bater demais e deixar a mistura mole. Adicione as gemas e bata por mais 1 minuto. Acrescente a farinha e continue batendo até homogeneizar os ingredientes. Leve a massa coberta com um filme plástico para a geladeira. Depois de 20 minutos, divida a massa em 30 partes iguais em formato de bola. 
Corte a goiabada em 30 partes iguais, no formato de retângulo. Achate as bolinhas e coloque um pedacinho de goiabada no centro de cada uma. Dê um “beliscão” na massa para fechar as laterais, deixando as pontas abertas para a goiabada ficar visível. Coloque em uma assadeira e leve para assar em forno preaquecido a 180°C por aproximadamente 25 minutos. Deixe esfriar e peneire açúcar de confeiteiro por cima dos biscoitinhos.

fonte:  Benjamin a padaria
http://benjaminapadaria.com.br/blog/

terça-feira, 6 de junho de 2017

Duendes no Opa's Haus



Meus amigos duendes estão felizes porque suas roupas estão bem quentinhas e estão preparados para o frio!

O frio chegou e promete geada por aqui e neve na serra catarinense e gaúcha.

Hoje aproveito e faço uma homenagem à linda  SERRA CATARINENSE
 que fica perto de Curitiba e que acho muito linda !!

Descer a SERRA DO RIO DO RASTRO é muito deslumbrante principalmente se o tempo está limpo !













MORRO DA IGREJA: 
o ponto mais alto do sul do Brasil e mais frio também , é o cartão postal do município de Urubici, devido à impressionante escultura da natureza, da extensa cadeia de montanhas .
A pedra furada deslumbra os olhos de quem a vê !!
E as histórias contadas de lá fazem aumentar o seu valor cultural. Uma delas é a do Tesouro dos Jesuítas. Expulsos do Brasil , no século XVIII, por ordem do Marquês de Pombal, os jesuítas teriam escondido e enterrado parte do tesouro de suas ricas igrejas da região.


Com cidades famosas pelo clima frio, como São Joaquim, Bom Jardim da Serra, Urubici e Urupema, a região da Serra do Rio do Rastro, em Santa Catarina, sempre surpreende aqueles que decidem percorrer sua sinuosa estrada até o topo. Os cânions, cachoeiras, araucárias e vinícolas formam paisagens repletas de muita beleza.

                                                    SERRA DO RIO DO RASTRO 
                                                    SERRA DO RIO DO RASTRO







No vídeo aparecem os seguintes pontos turísticos em sequência:

Pedra Furada, Morro da Igreja - Urubici/SC
Serra do Rio do Rastro - Entre Lauro Müller e Bom Jardim da Serra/SC
Cachoeira do Avencal - Urubici
Cachoeira Véu de Noiva - Urubici
Serra do Corvo Branco - Urubici
Morro do Campestre - Urubici

terça-feira, 30 de maio de 2017

Bonecas "Quindins de Yayá" no Opa's Haus



você já experimentou um Quindim?
O Quindim é um doce muito apreciado no Brasil !


                     Bonecas "Quindins de YaYá"

 lembrança de curitiba

 lembrança de curitiba


 lembrança de curitiba

 lembrança de curitiba


 lembrança de curitiba

 lembrança de curitiba

 lembrança de curitiba

 lembrança de curitiba

 lembrança de curitiba



QUINDIM:
Não existe uma data precisa, mas conta-se que nos conventos de Portugal, por volta da época da colonização do Brasil, as freiras lusitanas de Leiria usavam claras de ovos como base para engomar suas roupas. Porém, com isso muitas gemas sobravam e elas consideravam um grande desperdício o descarte. Foi assim que as freiras foram para cozinha e criaram receitas diversas com as gemas, entre essas o doce Brisa-do-Lis, conhecido como um doce conventual.




As escravas, na cozinha , preparavam essas receitas para seus senhores. Mas para preparar o Brisa de Lis, elas tinham um grande problema: a falta de amêndoas.Com toda a sua criatividade para a gastronomia, as africanas decidiram aproveitar outro ingrediente que existe em abundância nas terras brasileiras: o Coco .
As escravas africanas o batizaram de quindim, que significa encanto ou dengo, uma alusão ao fato de ser delicado.
 A receita com coco ralado foi aprovada e o quindim nasceu das habilidosas mãos das escravas africanas, que adaptaram a receita lusitana para solo brasileiro. 
Ou seja, o Quindim, como todo bom brasileiro, é uma grande miscigenação. Ele tem raízes portuguesas, foi elaborado e batizado por africanas em pleno solo brasileiro !!!




"Os Quindins de Yayá" (also known as "Os Quindins de Iaiá") is a famous Brazilian song written by the renowned Brazilian songwriter Ary Barroso and first released in 1941.[1] It gained international fame when it was sung by Aurora Miranda in the Disney film The Three Caballeros.







 receita do Chef Álvaro Rodrigues 
http://alvarorodrigues.com.br/                                                                            

Ingredientes

650 g de coco fresco ralado fino ou coco seco hidratado com água morna seguindo as indicações da embalagem (pesar depois de hidratado)
950 g de açúcar refinado peneirado
120 g de manteiga extra sem sal derretida e morna
36 gemas de ovos tipo jumbo peneiradas (650 g no total)

Modo de Fazer

Em uma bacia grande coloque o coco ralado com o açúcar e vá amassando com as mãos até que o açúcar esteja totalmente “derretido” e tenha formado uma massa muito bem úmida. Junte a manteiga derretida e morna e misture bem. Em seguida cubra com filme plástico e leve à geladeira por 12 horas ou até o dia seguinte. No dia seguinte adicione as gemas peneiradas duas vezes (veja abaixo em dicas do chefe) e envolva delicadamente com auxílio de um fouet até obter uma mistura homogênea. Empregue na montagem final como segue.

Brilho do Fundo

300 g de glucose líquida branca
50 ml de água filtrada e fria

Modo de Fazer

Em uma panela pequena coloque a glucose e a água e leve ao fogo baixo até aquecer e derreter totalmente. Distribua uma colher de sobremesa da glucose derretida no fundo de cada forminha própria para quindins de confeitaria e espalhe em toda a extensão (com a ponta do indicador). Deixe o brilho de fundo descansar por 10 minutos. Distribua a massa do quindim até a borda das forminhas e deixe descansar novamente por mais 20/30 minutos.
Por último coloque no fundo de uma assadeira retangular grande um pano multi uso limpo e próprio para cozinha (aquele todo furadinho), distribua os quindins descansados e leve à grade do forno. Em seguida coloque água fervente até atingir 2/3 da altura das forminhas, empurre delicadamente a assadeira para o centro do forno e asse em forno pré-aquecido à 180ºC no banho-maria quente até que estejam dourados e firmes ao toque. Desenforme quando bem morno ou frio.

Rendimento

45 unidades (tamanho padrão de confeitaria)
75 unidades (tamanho médio)
90 unidades (tamanho pequeno - festa)

Dicas do Chef

  • Jamais pressione as gemas contra a peneira com as costas de uma colher. Desta forma você estará empurrando o desagradável cheiro de ovo para o doce. Na verdade, aquele cheiro do ovo que ninguém gosta está na película que envolve a gema. O correto é você furar as gemas com a ponta de um garfo e apenas ir batendo a peneira contra a tigela até passar todas as gemas.
  • Não utilize gemas congeladas e, se você preferir poderá utilizar as gemas pasteurizadas (de caixinha).
  • O coco poderá ser fresco (ralado na hora), fresco e congelado e também o seco, que neste caso você vai hidratar seguindo as indicações do fabricante e pesar depois de 30 minutos.
  • O processo de "sovar" o coco com o açúcar em uma bacia é de extrema importância e espero que você tenha paciência ao realizar este processo até obter uma massa muito úmida, quase soltando uma fina caldinha.
  • Depois da massa sovada, cubra-a com filme plástico e leve à geladeira. Isto é imprescindível! No dia seguinte ou 12 horas depois adicione a manteiga derretida e morna e misture muito bem. Pronto, a massa do quindim está feita de forma simples, prática e sem muito trabalho.
  • Quando besuntamos o fundo e a lateral das forminhas próprias com a mistura de glucose/água temos um magnífico quindim com brilho permanente e que poderá ser conservado em geladeira por até três dias. O congelamento é indicado por apenas 30 dias.
  • Nunca coloque água fria para o banho-maria que irá cozinhar os quindins, sempre água fervendo.
  • Tenha cuidado ao retirar a assadeira de quindins do forno e, imediatamente retire-os delicadamente do banho-maria e coloque-os em uma assadeira fria. Deixe amornar bem ou esfriar completamente.
  • Para retirar o quindim ainda morno das forminhas basta você girá-lo com a palma da mão e soltá-lo na palma de sua mão (sacudindo delicadamente).
  • Coloque os quindins desenformados sobre tapetinhos de celofane transparente e monte uma linda vitrine ou lindas caixas para presente.
  • Ah, ia me esquecendo... Quando você precisar retirar os quindins completamente frios das forminhas faça o seguinte: em uma frigideira coloque água e leve ao fogo até que esteja bem quente. Em seguida coloque o fundo de cada forminhas com quindim na água quente para que, desta forma, a glucose que está dura e fria aqueça e derreta completamente. O passo seguinte já foi citado acima.
  • Se preferir faça meia receita ou até 1/4 da receita, tomando o cuidado de dividir o peso de todos os ingredientes.


  • Significado das palavra   YAYÁ :

  • Entre os escravos que vinham da África e começavam a aprender o português, era comum que a palavra "senhora" fosse pronunciada como "sinhá" para se referir à esposa do dono da fazenda e "sinhazinha" ou "sinhozinho", para referir-se às crianças brancas.

    Para alguns africanos recém chegados, era difícil até mesmo falar "sinhá", pois o dígrafo "nh" só é comum em português ou espanhol, quando é grafado como "ñ". Por isso falava-se "iaiá" para as mulheres brancas e "ioiô" para os homens brancos.

    A expressão ganhou ares românticos entre os escravos. Os homens negros referiam-se às suas esposas como "meu iaiá", algo assim como hoje os homens se referem às suas esposas como "patroa"; e as mulheres negras referiam-se aos seus maridos como "meu ioiô".

    Da senzala para o cotidiano foi um pulo.

EMAIL DE CONTATO : elianeapkroker@gmail.com

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Mocinhas da Cidade de Curitiba - Opa's Haus

MOCINHAS DA CIDADE DE CURITIBA- CIDADE DE IMIGRANTES E DE PARQUES
 Até o século 18, os habitantes da cidade eram índios, mamelucos, portugueses e espanhóis. Com a emancipação política do Paraná (1854) e o incentivo governamental à colonização na segunda metade do século 19, Curitiba foi transformada pela intensa imigração de europeus.
Alemães, franceses, suíços, poloneses, italianos, ucranianos, nos centros urbanos ou nos núcleos coloniais, conferiram um novo ritmo de crescimento à cidade e influenciaram de forma marcante os hábitos e costumes locais.  Curitiba também guarda marcas da presença negra, embora esta seja pouco documentada. Auguste de Saint-Hilaire, naturalista francês que andou pela cidade em 1820, fez levantamentos sobre a população da província.Apesar dos poucos documentos existentes, a escravatura existiu no Paraná, ao longo dos ciclos econômicos e na construção de obras gigantescas como, por exemplo, a Estrada de Ferro Paranaguá-Curitiba, entre 1880-85, ligando o Litoral ao Primeiro Planalto e com a engenharia dos irmãos Antônio e André Rebouças, ambos mulatos.









CURITIBA- CIDADE DOS PARQUES E DOS IMIGRANTES
De povoado a metrópole, o traço fundamental que definiu o perfil de Curitiba foi a chegada de imigrantes das mais variadas procedências. Europeus, asiáticos e africanos contribuíram para a formação da estrutura populacional, econômica, social e cultural da cidade.

MEMORIAL UCRANIANO
Os ucranianos vieram em 1895. Estabeleceram-se no Campo da Galícia e foram expandindo suas propriedades ao longo da atual Avenida Cândido Hartmann e por todo o bairro Bigorrilho.

PARQUE TANGUÁ

                                            MUSEU OSCAR NIEMEYER


PARQUE BARIGUI 

PARQUE BARIGUI  




MEMORIAL UCRANIANO


PARQUE TANGUÁ

PARQUE TANGUÁ

OPERA DE ARAME

OPERA DE ARAME

OPERA DE ARAME


JARDIM BOTÂNICO

JARDIM BOTÂNICO

JARDIM BOTÂNICO



PARQUE TANGUÁ

MEMORIAL UCRANIANO

BOSQUE ALEMÃO



BOSQUE ALEMÃO

BOSQUE ALEMÃO


BAIRRO DE SANTA FELICIDADE- BAIRRO ITALIANO GASTRONÔMICO

BOSQUE ALEMÃO

JARDIM BOTÂNICO

BOSQUE ALEMÃO

                                            PARQUE PASSAÚNA
JARDIM BOTÂNICO


BAIRRO DE SANTA FELICIDADE- BAIRRO GASTRONÔMICO



Os italianos vieram para Curitiba em 1872 e, em 1878, criaram a colônia Santa Felicidade. Os oriundos do norte da Itália eram, em sua maioria, operários, artesãos, profissionais especializados e comerciantes. Os do sul dedicavam-se à lavoura e introduziram novos implementos agrícolas. Assim como os poloneses, eles vendiam na cidade, de carroça, sua produção de hortaliças.

BAIRRO DE SANTA FELICIDADE- BAIRRO ITALIANO GASTRONÔMICO 

BAIRRO DE SANTA FELICIDADE- BAIRRO GASTRONÔMICO

           BAIRRO DE SANTA FELICIDADE- BAIRRO ITALIANO GASTRONÔMICO   


BAIRRO DE SANTA FELICIDADE- BAIRRO ITALIANO GASTRONÔMICO 

BAIRRO DE SANTA FELICIDADE- BAIRRO ITALIANO GASTRONÔMICO
BAIRRO DE SANTA FELICIDADE- BAIRRO ITALIANO GASTRONÔMICO

Os poloneses chegaram em 1871 - BOSQUE DO PAPA

Os poloneses chegaram em 1871 - BOSQUE DO PAPA


PRAÇA DO JAPÃO 


EMAIL DE CONTATO : elianeapkroker@gmail.com
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...